PF prende terroristas ligados ao Hezbollah e que planejavam ataques no Brasil

Bela Megale 29 Maio 2024 | 1min de leitura

Contraste Imprimir

A Polícia Federal deflagrou uma operação contra suspeitos de terrorismo ligados ao grupo radical libanês Hezbollah. Dois homens foram presos e 11 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal. Segundo os investigadores, eles eram financiados e foram aliciados pelo Hezbollah. Os dois presos são brasileiros e há outros dois alvos de pedido de prisão que estão no Líbano.

O grupo planejava promover atentados contra prédios da comunidade judaica e israelense no Brasil, inclusive sinagogas, aponta a investigação.

Os dois presos são brasileiros e há outros dois alvos de pedido de prisão que estão no Líbano.

O passo a passo da operação que deteve atentados contra alvos judeus no Brasil — Foto: Editoria de arte
O passo a passo da operação que deteve atentados contra alvos judeus no Brasil — Foto: Editoria de arte

Um dos presos foi detido no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, ao chegar de uma viagem do Líbano. A PF acredita que ele já chegou com informações para praticar os ataques. O outro foi preso em São Paulo.

Batizada de operação Trapiche, a ação mira um grupo que tinha o objetivo de promover “atos preparatórios de terrorismo”, segundo a nota da corporação.

Os recrutadores e os recrutados devem responder pelos crimes de constituir ou integrar organização terroristas e de realizar atos preparatórios de terrorismo. As penas máximas, se somadas, chegam a 15 anos e 6 meses de reclusão.